Teve um bom pico de vendas no Dia dos Namorados? Péssimo sinal!

Teve um bom pico de vendas no Dia dos Namorados? Péssimo sinal!

0
SHARE

Claro que é excelente ter visto as vendas subirem e os compartilhamentos nas redes sociais “a voar”! Melhor ainda se a sua loja, restaurante ou hotel esteve repleta de “pombinhos”. Parabéns!

Então diga lá o que lhes enviou no dia 13 de Junho para manter esses bons resultados?

– Hã…

E no dia 14? E para a semana? E no próximo mês?

– Espere, deixe-me ver no calendário quando calha o próximo feriado…

Ora, aí está. Se basear a sua comunicação exclusivamente nos feriados e dias especiais, acabará por se queimar.
Um exagero? Imagine que a única atenção especial à sua cara-metade é só no Dia dos Namorados. Pois é. Aqui acontece o mesmo.

– Mas o meu público não é a minha cara-metade!

Então vai perdê-lo. Uma relação a “meio-gás” não tem força. Sem força, cada qual vai para seu lado.

É preciso adorar os seus clientes para que a relação seja firme e duradoura. Pode ter a certeza de que é isso que eles esperam de ti: paixão, compreensão e mimo. O ano inteiro, e não só no 12 de Junho.

– Falar é fácil. Como é que se faz isso?

O Dia dos Namorados é só o princípio. Siga estas dicas no resto do ano:

Escute! Não fale só sobre si. Dê a vez aos seus clientes: ouça as ideias, as queixas, tudo o que têm a dizer. Um questionariozinho com três perguntas rápidas é ótimo para dar voz aos clientes. Pode enviá-lo por email, por SMS ou até, se estiverem dentro da loja, usar um tablet com o formulário pronto a preencher!
Acompanhe! Sente algum tipo de atenção especial ao receber uma corriqueira newsletter da loja onde fez a última compra? Dificilmente.

Mas a coisa muda de figura se lhe enviar:

um email personalizado com sugestões de produtos que complementam a compra;

um desconto na próxima encomenda;

um SMS no seu aniversário com um código QR que se valida logo na loja com o próprio telemóvel;

um voucher de desconto a agradecer os 6 meses desde que é cliente;

uma mensagem de ajuda se tiver dificuldade em finalizar uma encomenda online.

E agora você diz: “Ah, isso é muito complicado”. Ninguém disse que a vida a dois é fácil. Felizmente, nada disto tem de ser feito à mão. Com a ajuda de auto-responders, triggers e comunicação automatizada no e-commerce, conseguirá manter-se sempre ao lado dos clientes no momento em que mais precisam de ti.

Preste atenção, sobretudo, aos pequenos sinais, aquelas sutilezas que dão a entender a tempestade que se avizinha. Mantenha debaixo do olho todos os perfis da sua empresa nas redes sociais e fique atento às referências nos fóruns e blogues (há serviços que ajudam a identificá-las). Nunca deixe comentários sem resposta, sobretudo se negativos. Lembre-se, quanto mais tempo não se fala de um problema, mais tende a explodir no pior momento. E nas redes sociais as pessoas estão habituadas a ter respostas em 30 a 60 minutos!

Não esconda! Um produto ficou de repente fora de estoque? O site está em baixo? O preçário vai mudar? Na medida do possível, diga aos seus clientes exatamente o que se passa e porquê. Quanto mais confidenciar com eles, melhor compreenderão o seu ponto de vista. Uma relação sem confiança entre as partes está morta à nascença.

Use o humor! Todos os dias postamos coisas úteis no nosso Facebook, Twitter e G+, mas sabe qual foi o post que mais sucesso teve? Uma piadola (e os posts com banda desenhada também têm bons resultados). Lição: na dúvida do que deve dizer, o humor ganha sempre.

Entendido. Mais alguma recomendação?

Sim. Ser o melhor amigo. É muito difícil que uma relação corra bem se as duas pessoas não forem verdadeiramente amigas uma da outra. Um bombardeio de descontos, ofertas e presentes só demonstra um desespero de adulação. Também não é lá grande prova de amizade um serviço tão incompleto ou complicado de usar que os clientes se sentem frustrados para fazer seja o que for.

Por isso, esforce-se por transformar a sua empresa e serviço em algo com que as pessoas possam contar em qualquer dia do ano. O Dia dos Namorados deve ser apenas a cristalização de um imenso trabalho diário ao longo de todos os outros dias. A pergunta a fazer aos seus clientes não é “Em que posso ajudá-lo?” (isso descobre-se, não se responde), mas sim uma outra, que é também uma promessa: “Estou aqui contigo, sempre ao teu lado, pronto para ajudar, aconteça o que acontecer. Vamos a isto?”. Cumpra-a!

LEAVE A REPLY