Payback: Como calcular o retorno da sua empresa?

Payback: Como calcular o retorno da sua empresa?

291
0
SHARE
Como fazer um plano de cargos e salários
Como fazer um plano de cargos e salários

Um dos assuntos que é dos mais pertinentes no mundo do empreendedorismo é sobre o tema de investimentos! Fala-se muito em como eles são necessários para que as empresas consigam caminhar em suas respectivas jornadas em prol de alcançar seus objetivos e suas metas.

Independentemente se o investimento é feito em forma de dinheiro, tempo, ou então por meio de outro recurso, é importante entender como e quando ele vai gerar o tão sonhado retorno para o empreendedor, para o negócio ou para quem investiu.

Principalmente quando esse investimento é feito por meio de capital. Podemos até citar uma frase marcante do famoso Warren Buffet:

“A primeira regra de investimento é não perca dinheiro; a segunda regra é não esquecer a primeira”.

Até porque, ninguém quer perder dinheiro em nada na vida. Então, para auxiliar nessa questão surgiu o Payback, que é um termo muito utilizado para tratar desse assunto, auxiliando, principalmente, os gestores e diretores das empresas.

Sabemos que muitos podem ter dúvidas sobre o que ele realmente significa. Então, preparamos esse post exclusivo para que você possa entender um pouco mais sobre o Payback.

Ficou interessado? Então, continue acompanhando a leitura conosco!

O que é Payback?

O termo Payback significa “retorno” em português. Sendo assim, ele pode ser considerado como o cálculo do tempo que levará para um certo investimento conseguir alcançar esse retorno, ou seja, quanto tempo levará para ele se pagar.

Podemos enxergá-lo também como uma excelente ferramenta estratégica, sendo que sua principal entrega é auxiliar no processo de estudo sobre um projeto ou uma ideia, indicando se será possível atingir o retorno do investimento feito necessário em tempo hábil ou não.

Falando mais tecnicamente, o Payback é o tempo necessário para que o retorno aconteça desde o investimento inicial até chegar a um nível em que os rendimentos acumulados se igualam com o valor desse investimento que foi feito.

Ou seja, ele oferece uma estimativa de quanto tempo será necessário para recuperar a aplicação que foi feita inicialmente.

Saiba que não existe um valor ideal para o Payback, ele pode variar muito dependendo do tipo de negócio, valor de investimento e complexidade do projeto. Portanto, nem sempre ele será curto, podendo levar meses e até anos para acontecer.

Essa estratégia pode ser utilizada por qualquer tipo de negócio, desde empresas grandes até empreendedores que estão iniciando o seu projeto de negócio e precisam saber se vale a pena continuar com a ideia de negócio.

Por que calcular o Payback da sua empresa?

Saber o tempo de retorno da sua empresa ou de qualquer outro projeto pode ser valioso em muitos momentos de decisivos do negócio, o que faz o cálculo do Payback algo essencial para ajudar o empreendedor a sustentar sua ideia e até alçar voos maiores.

Para deixar isso mais claro, separamos uma lista com alguns motivos que mostram que calcular o Payback é importante para qualquer empresa e também porque você deveria adotar esse procedimento desde já:

  • Fornece a ideia do nível de liquidez da empresa e também do seu nível de risco que ela está inserida;
  • Sua fórmula de cálculo é simples e fácil de ser aprendida;
  • Ele se demonstra útil no processo de entender se um projeto de alto risco vale a pena ser iniciado;
  • Em projetos cuja vida é limitada, ele ajuda a saber se compensa investir energia em sua execução;
  • Aumenta a segurança dos negócios em épocas de instabilidade econômica e crise financeira;
  • Ajuda no processo de captação de investimentos, no que diz respeito ao convencimento de possíveis investidores, mostrando que a ideia ou o projeto são promissores;
  • Auxilia a equipe de produto da empresa a planejá-lo de forma mais eficiente, ajudando também para que ela consiga argumentos para aprová-lo junto à empresa;
  • Ajuda no controle do fluxo de caixa da empresa.

Como calcular o Payback?

Agora que você já entendeu o conceito do Payback e conhece alguns motivos para adotá-lo em seu negócio, vamos para a parte mais prática!

Antes de mais nada, saiba que o cálculo do Payback é relativamente simples, assim como mencionamos, porém é preciso ter alguns cuidados na hora de coletar e calcular suas variáveis.

Por isso, é preciso que o fluxo de caixa esteja muito bem planejado, para que seja possível levantar todos os custos que são relacionados ao investimento que será feito. Saiba que nem sempre é fácil fazer isso, mas não é impossível.

Então, será preciso incluir custos relativos a:

  • Salários dos funcionários;
  • Despesas administrativas;
  • Contratação de equipamentos e serviços;
  • Outras despesas operacionais.

Após reunir esses custos, a próxima etapa é reunir o resultado que o projeto trouxe por mês, comprovado em seu fluxo de caixa, ou então, a estimativa que ele possui de rendimento, comprovado também em estudos muito bem embasados.

Então, divide-se o investimento inicial por esse resultado médio e, finalmente, temos o payback.

Segue a fórmula:

Payback = investimento inicial / resultado médio comprovado em fluxo de caixa.

Para ficar mais fácil o seu entendimento, segue um exemplo:

A empresa fez um investimento de R$100.000,00 em um de seus projetos o resultado médio mensal do seu fluxo de caixa é de R$10.000,00.

Aplicando a fórmula, temos:

Payback = R$100.000,00 / R$10.000,00 = 10 meses

Nesse nosso exemplo, o tempo de payback é de 10 meses, ou seja, menos de 1 ano.

A grande vantagem de utilizar o resultado médio mensal do fluxo de caixa está no fato de poder simplificar o entendimento do retorno do projeto, pois isso oferece um valor-base que mostra o quanto é esperado que aquele investimento será retornado mês a mês.

Sendo assim, o negócio pode elaborar um fluxo de caixa acumulado, ou seja, soma-se todos os fluxos de caixa da sua projeção, do início ao fim do projeto.

É normal que novos projetos apresentem resultado negativo nos meses iniciais, pois o seu início tende a ser mais lento, mas com o passar do tempo e o acúmulo de resultados positivos, o valor começa a tornar-se positivo e assim, o payback poderá ser atingido com mais facilidade.

É possível também utilizar o payback como ferramenta para entender quanto um novo recurso poderá fornecer de retorno para a empresa.

Apresentando isso de forma mais prática, vamos tomar como exemplo, uma empresa que precisa comprar um equipamento para a sua produção. Seguem alguns dados para você entender a situação:

  • O equipamento produz peças e custa R$2.000.000;
  • Este equipamento reduz em 20% o custo de produção de cada peça;
  • Cada peça custa R$500;
  • No mês a empresa produz 10.000 unidades dela;

Tendo em vista esses dados, podemos calcular o seu payback da seguinte forma:

  • Em um mês temos um custo de R$5.000.000;
  • A máquina oferece uma redução de custo de 20%, então temos uma redução de R$1.000,000 por mês
  • Logo o Payback é de R$2.000.000 / R$1.000.000 = 2

Então, o seu Payback será de 2 meses.

Entendeu como é fácil calcular o payback e como ele pode ser aplicado para qualquer área do negócio?

Quais são os tipos de paybacks?

Agora que você já está mais familiarizado com essa ferramenta, vamos apresentar os 2 tipos de payback: O simples e o descontado.

Vamos falar um pouco mais sobre eles abaixo:

1. Payback Simples

O payback simples é o que apresentamos acima, com seus cálculos e sua fórmula. Assim como o seu nome diz, ele é simples e rápido para medir o grau de risco de um dado investimento.

Porém, nem tudo que é simples é totalmente completo, nesses casos ele não considera o valor do dinheiro no tempo, além do custo do capital da empresa e os fluxos de caixa depois do período de payback.

Por ter essas limitações, muitos consideram esse método como incorreto, pois não está de acordo com os princípios da matemática financeira, em que deve se ter equivalência entre taxas.

2. Payback Descontado

O payback descontado foi criado para suprir as limitações do payback simples, conforme apresentamos anteriormente.

Sendo assim, para conseguir esse feito, ele usa uma taxa de desconto, que geralmente é anual. A princípio parece difícil de entendê-la, mas não é.

Essa taxa de desconto pode ser definida por investidores, por exemplo, sendo que nela os fluxos de caixa terão o desconto em relação ao seu período especificado. Geralmente é utilizada a TMA (Taxa Mínima de Atratividade).

Caso queira entender um pouco mais do cálculo do Payback aplicando essa taxa, há um exemplo completo nesse post.

Apesar do método do Payback ser muito importante, se colocarmos na balança, sozinho ele pode mostrar uma boa projeção de quanto tempo levará para um investimento fornecer o retorno que é esperado. Porém, é preciso tomar um certo cuidado!

Sugerimos que empreendedores e gestores não voltem suas atenções somente para ele, pois essa análise envolve uma série de fatores em que ele é somente mais uma de tantos outros.

Então, busque sempre analisar outros indicadores que podem fornecer um panorama mais completo sobre o projeto.

É importante levar esse pensamento não somente para a questão de recuperação de investimento, mas sobre a viabilidade do projeto em si.

LEAVE A REPLY