SHARE

O que é pró-labore? é uma dúvida bastante comum para alguns empreendedores que recém abriram um negócio. Leia nesse artigo e saiba um pouco mais!

A ideia de que um sócio empresarial receba um salário parece ser real para você? Pode parecer que não, mas todo sócio deve ser remunerado pelas atividades que exerce. Ele empenhou habilidade e seus esforços no empreendimento e, por isso, ele se torna merecedor dos lucros que essa empresa tem.

Simplo 7 - Loja Virtual

Alguns chamariam isso de salário. Mas a realidade é que o termo técnico que mais se ajusta a essa remuneração é pró-labore. Em termos mais simples pró-labore é exatamente isso o que você acabou de ler: o valor que um sócio recebe por participar nas atividades da sua empresa.

BAIXE NOSSO MATERIAL:

>Como montar uma loja virtual
>Como fotografar e editar fotos em sua loja virtual
>Como atrair visitantes gratuitamente para sua loja virtual
>Como vender pelo Facebook e Instagram

Há muitas dúvidas relacionadas a esse tema, e é justamente para que você fique esclarecido que preparamos esse artigo esclarecedor. Antes de entender o conceito de pró-labore, vamos às raízes da expressão usada em nosso idioma:

A dúvida mais comum tem a ver com as origens da própria expressão pró-labore

Se está com dúvida sobre esse hífen aí (-), não se preocupe. A forma mais exata da expressão no português de acordo com o Novo Acordo Ortográfico é pró-labore.Isso porque o prefixo “pro” não estaria correto na norma mais culta do nosso idioma.E se for usado sem o hífen, é encarado linguisticamente falando como uma palavra estrangeira.

A definição de pró-labore?

Originado no latim, o termo quer dizer “pelo trabalho” ou “a favor do trabalho” e está relacionado ao valor remunerado pela empresa à qual se está trabalhando. Também pode envolver a remuneração que se recebe de uma empresa quando alguém exerce atividades empresariais mesmo sendo sócio dela.

BAIXE NOSSO MATERIAL:

>Assista o Webinar para montar loja virtual
>Veja 8  dicas para montar uma loja virtual
>Baixe E-book Gestão de e-commerce para PME
>Assista a Palestra: E-commerce Do Zero Aos Resultados Em 6 Etapas

Pró-labore não necessariamente tem a ver com a distribuição dos lucros ou dos dividendos da empresa, que pode ser algo a ser administrado à parte disso. Para entender bem esse conceito, é preciso lembrar que o administrador da empresa pode ser uma só pessoa ou então um conjunto de sócios dela.

Do ponto de vista das leis trabalhistas do nosso país, não seria apropriado se referir ao pró-labore como um salário. Existem suas diferenças, e elas não são difíceis de serem compreendidas no contexto empresarial. Um exemplo típico tem a ver com as obrigatoriedades relacionadas ao 13º salário, estabelecido na Constituição.

BAIXE NOSSO MATERIAL:

>Baixe planilha de análise de concorrência
>Baixe e-book com 6 maiores erros de quem faz anúncios
>Baixe e-book de como capturar e-mail

Não há regras a serem seguidas relacionadas com o 13º dentro do conceito do pró- labore. Isso ocorre também em relação ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), férias, entre outros aspectos. Numa situação onde o pró-labore governe a relação pessoa-empresa, aspectos trabalhistas como férias e 13º ficam a critério dos envolvidos, sendo necessário firmar acordos entre as partes.

BAIXE NOSSO MATERIAL:

>Como recuperar 30% pedidos pagos por boleto
>Saiba por que usar e-mail marketing na sua loja
>Faça parte da Lista Vip DLoja Virtual

Exemplo:

Tanto um sócio como a empresa poderiam concordar, de forma documentada, que o administrador da empresa ganhará as férias normalmente, mas não receberá o 13º salário.

Como se determina se os administradores entrarão no conceito de pró-labore?

Como já dissemos, não há maneiras de trabalhar ao mesmo tempo com o pró- labore e as leias trabalhistas. Afinal de contas, os conceitos são diferentes. Mesmo assim, é possível se chegar ao valor que os administradores de uma empresa receberiam caso adotassem essa política de trabalho. Como isso poderia ser feito?

Vamos pensar numa situação hipotética:

EMPRESA: à medida que a crise se instala no Brasil, os administradores de uma empresa começam a avaliar as possibilidades futuras de crescimento. Elas são grandes ou pequenas?

SÓCIO: um dos sócios pensa em fazer mais pela empresa, não mais apenas trabalhando na parte burocrática, mas na produção em si, potencializando a recuperação financeira na fonte.

EMPRESA: os administradores veem isso com bons olhos e pensam em manter o sócio feliz, satisfeito com sua atitude pró ativa. Eles raciocinam: “Quanto teríamos de pagar alguém de fora para receber treinamento, entender nossos métodos e trabalhar para nós? Vamos fazer diferente. Vamos valorizar esse sócio bem- intencionado, remunerando ele de acordo com o seu trabalho”.

 

BAIXE NOSSO MATERIAL:

>Como atrair cliente com e-mail marketing
>7 dicas para começar a usar o Youtube
>Saiba se seu site está otimizado

Após essa postura definida, uma boa conversa poderia ajudar as duas partes a definirem em documentos o que será repassada dos lucros da empresa ao sócio dedicado. Essa é a mola propulsora do pró-labore: gratificar quem merece depois de perceber uma atitude em favor da manutenção empresarial!

Pró-labore: com que base remunerar?

Após uma avaliação precisa do que o sócio tem feito em favor da empresa, talvez impulsionando os métodos de uma loja virtual, fica claro que ele precisa ser remunerado para que continue ajudando no crescimento dela. A pergunta fatal é: como remunerá-lo?

Reforçando o que já foi considerado acima, não existe uma lei que determine remunerações de pró-labore. Assim, pode-se usar bases estruturais já compostas na lei para se decidir como remunerar sócios de uma empresa. Um exemplo disso seria o valor do salário mínimo. Apesar de não se usar o termo, a base de cálculo pode partir daí, levando em conta o que a empresa pode fazer a mais em favor de quem a está alavancando.

Quando uma empresa já tem em seu quadro alguns funcionários, a lógica financeira aponta para a seguinte dica importante:

 Estipule um valor de remuneração maior do que a média recebida pelos funcionários. Por que? Se a fiscalização perceber que você usa o mesmo valor para ambas remunerações, pode achar que está tentando escapar das leis trabalhistas.

Uma postura séria, bem planejada e assertiva, fará toda a diferença!

Cuidados a se tomar com o pró-labore

Há tipos de impostos específicos que incidem no método pró-labore. E eles podem ser bastante onerosos dependendo da política tributária que sua empresa adotou. Por exemplo, em geral, um mínimo de 11% fica retido ao INSS, mas se a empresa optou pelo Lucro Real ou pelo Lucro Presumido, esse valor sobe.

Há similaridades de porcentagem quando o sócio tem carteira assinada ou quando ele administra outra empresa. Assim, uma consulta com especialistas em leis trabalhistas vem muito a calhar!

Existem obrigatoriedades no pró-labore?

É conhecido o fato de que quem administra uma empresa precisa pagar a Previdência Social. Quando uma empresa não registra seus valores de pró-labore, um fiscal da Receita pode arbitrar uma quantia de INSS a ser paga.

BAIXE NOSSO MATERIAL:
>Baixe a planilha de planejamento de ações de marketing
>Baixe e-book para datas comemorativas

E um detalhe importante: emitir o pró-labore só deve ser iniciado quando há faturamento contábil. Ou seja, se houver um vácuo entre a data de início das atividades da empresa e a do primeiro recebimento, a emissão do pró-labore só deve ocorrer a partir de então. Daí em diante, a emissão precisa continuar até que a empresa se torne inativa.

O que você achou de nossa ampla explicação do conceito de pró-labore?

Esperamos que as informações tenham sido úteis e práticas. Avalie a possibilidade de usar esse conceito em sua loja virtual, e esteja assim em dia com o que há de mais moderno nas estratégias trabalhistas em nosso país.

SHARE
Previous articleLojas de celulares
Next articleO que é preciso para montar uma loja virtual

LEAVE A REPLY