O que é Facebook-Commerce

O que é Facebook-Commerce

0
SHARE

Há cerca de 10 anos começávamos a aprender sobre lojas virtuais e a como vender na Internet. Hoje precisamos aprender a vender em uma rede social chamada Facebook, atividade que até ganhou o nome de f-commerce, sendo o “f” já de notório conhecimento, talvez quase quanto o “e” original. E podemos utilizar os nomes para já começarmos a estabelecer as semelhanças e diferenças entre esses dois animais.

E-commerce é a venda pelo canal internet, em qualquer de seus ambientes. Não importando se essa venda é realizada por meio de uma solução de R$ 35 milhões ou um de blog que vende downloads a R$ 1,99. O Facebook é uma rede social, um ambiente da Internet onde as pessoas trocam informações e que, agora, oferece também a possibilidade de implantação de uma loja virtual e a consequente venda de produtos, ou seja, continuamos falando de e-commerce. Se o Orkut também possibilitar a montagem de uma loja, assim como o Twitter, o YouTube, etc.  podemos até chamar isso de O-commerce, T-commerce, ou Y-commerce, para especificarmos o ambiente da Internet no qual a venda é realizada. Ou ainda englobar todos eles num pacote chamado Social-Commerce. Mas o fato é que estaremos sempre falando de nosso “velho” e conhecido e-commerce. Isso posto, podemos partir agora para as peculiaridades da venda realizada no facebook-commerce.

O primeiro aspecto é que as redes sociais são um ambiente criado para a interação e troca de informações entre os usuários. A maioria das pessoas que freqüenta o facebook quer ser vista e quer também ver e saber através das informações atualizadas o que os seus conhecidos andam fazendo. A conclusão é que os usuários, pelo menos por enquanto, não entram no facebook em busca de produtos, mas sim em busca de relacionamento. Isso não significa necessariamente um conflito com a ação de comprar. Quem acredita no f-commerce, e eu me incluo entre estes, espera que as ações normalmente praticadas nesse ambiente possam servir como uma etapa prévia, e quem sabe, um estimulador da compra, criando o chamado Social-Commerce. É claro que essa expectativa necessitará ser validada na prática por meio de resultados concretos de vendas e ROI – retorno sobre o investimento.

Envolver o usuário é a tônica do facebook-commerce

A idéia central do facebook-commerce, é envolver as pessoas com a empresa e motivá-las a interagir na rede estimulando a própria compra e a compra de terceiros. Esse processo pode se iniciar antes mesmo do lançamento de um novo produto, com os usuários indicando o que gostariam de ter a disposição para eventual aquisição. Por exemplo: os clientes de uma loja de jeans podem indicar novas linhas e estilos para os produtos se forem estimulados, e numa rede social como o Faceboook  é bem mais fácil fazer isso.
Outro aspecto é a participação do usuário na divulgação do novo produto. Além de se sentir envolvido em razão de suas sugestões, o usuário precisa ser recompensado por divulgar a marca para os seus contatos no facebook. Essa recompensa pode vir por meio de descontos na compra, brindes ou até mesmo a participação monetária na venda. Finalmente, outra possibilidade de envolvimento é na avaliação do produto. Isso é particularmente importante em empresas prestadoras de serviços cujo sucesso depende da manutenção de padrões de qualidade elevados. Ter clientes que se dispõe a avaliar e até mesmo criticar a empresa de forma construtiva na rede é extremamente positivo para quem busca a excelência. Atualmente, muitas empresas contratam profissionais para vasculhar as redes sociais a procura de citações da empresa para solução de eventuais problemas, mas numa ambiente específico como o Facebook essa tarefa é muito mais produtiva em razão da fácilidade em agrupar e interagir com um expressivo grupo de consumidores potenciais dispostos a dar a sua opinião.
Ouvir e atender as necessidades dos usuários, não é novidade, trata-se de um dos princípios do marketing. A novidade é que agora isso é muito mais fácil e barato de se fazer, pois temos a Internet e temos ambientes nos quais as pessoas podem ser facilmente encontradas e estimuladas a interagir. Em resumo, o que se espera do Social-Commerce, particularmente do facebook, é que o maior envolvimento dos usuários, nas inúmeras maneiras possíveis, facilite e estimule as vendas. Em um futuro breve saberemos se nossa expectativa foi confirmada.

LEAVE A REPLY