O mercado da Internet – II

O mercado da Internet – II

786
0
SHARE

No artigo anterior tratamos da importância da segmentação de mercado para o empreendedor da Internet, assim como da definição clara do público-alvo. O conhecimento do segmento e do público ao qual será dirigido o esforço mercadológico é fundamental para se aumentar as chances de sucesso do empreendimento. Se não sabemos para quem vender, como vamos posicionar a empresa? Como poderemos saber se o segmento que pretendemos atuar oferece boas chances de sucesso ou se é composto por uma quantidade de pessoas suficiente para viabilizar o empreendimento? Além disso, existem dois outros aspectos aos quais o empreendedor deve ficar atento.

A concorrência.

Imagine que você pesquisou os dados de mercado e descobriu uma grande quantidade de consumidores potenciais para seus produtos. Isso é uma informação muito positiva para o projeto, mas não é o bastante. E se houver inúmeros outros sites de qualidade já estabelecidos no mercado oferecendo o mesmo produto? É necessário, portanto, além de levantar a demanda pelo produto, conhecer também o mercado pelo lado da oferta. Quantos são os concorrentes que vão disputar o mercado? Quem são os mais importantes? Que estratégias eles estão realizando com sucesso. O que podemos fazer melhor? Note que não se trata apenas de quantificar o tamanho da concorrência, mas também de analisar os melhores players do segmento e conhecer o que estão fazendo com sucesso. O objetivo aqui não é copiar, uma vez que cada empresa tem as suas peculiaridades, mas sim aprender com os erros e acertos já cometidos por outros e fazer o melhor possível em prol do cliente.

Foco em um nicho de mercado.

De forma geral, todos os mercados e segmentos são competitivos, porém quanto mais focado for o empreendedor em um determinado público ou serviço, maiores chances terá de se firmar como um líder ou concorrente de peso. Geralmente as grandes empresas necessitam de grande escala de venda para remunerar o alto volume investido, portanto elas se concentram em grandes e diversificados mercados não podendo dar-se ao luxo de se preocupar com pequenos nichos. Já para o pequeno empreendedor é justamente essa a estratégia recomendada: ser especializado em um nicho de mercado, dominar linhas específicas de produtos, conhecer profundamente o seu público-alvo de forma a conhecer o seu comportamento e atender com eficácia as suas necessidades. A partir daí, pode-se posicionar a empresa como a melhor no segmento, a especializada, e, portanto a candidata óbvia do publico para fornecer o produto desejado. Essa é a estratégia a qual Porter e outros autores se referem como “Foco”, e é justamente a que deve ser adotada pelo pequeno empreendedor na Internet.

Porter, Michael E. Estratégia Competitiva.

LEAVE A REPLY