SHARE

 

Sim! ainda é possível entrar no jogo do e-commerce e ganhar dinheiro na Internet! 

 

Existem duas preocupações equivocadas entre futuros, ou quase futuros candidatos ao sucesso no e-commerce. A primeira é que o momento de ganhar dinheiro na Internet já passou, e que somente as empresas que se instalaram no início da internet é que tem chance de ainda ganhar esse jogo. Não é verdade, ainda existem nichos de mercado muito interessantes para quem quer ganhar dinheiro com e-commerce e que estão lá, prontinhos para serem explorados.

A outra preocupação dos pequenos empreendedores na Internet é a concorrência. A grande concorrência. Muitos apostam que no futuro só poderão ganhar dinheiro na Internet duas ou três livrarias gigantes, duas ou três lojas de CDs imensas, e assim por diante. O sucesso e a velocidade de crescimento de uma Amazon.com, por exemplo, tem levado muitos a desistir da corrida. Mas será que o pequeno e médio empreendedor também não poderá ganhar dinheiro nesse novo mercado chamado Internet?

Por que as pessoas ainda compram frios em mercearias, frutas e verduras em quitandas ou bebem cerveja no bar da esquina? Em muitos casos comprar no bar da esquina pode ser mais caro do que fazer compras em grandes supermercados. Mas os pequenos sobrevivem porque podem oferecer algo que os grandes não podem. Você pode dizer que é o tratamento personalizado, produtos mais frescos, bebida gelada, ou seja lá o que for, mas a verdade é que cada pequeno bem sucedido encontrou algo que o gigante não podia oferecer e aí passou a competir com chances. Isso, com certeza, também é válido para a Internet.

Acreditamos que será difícil para um livreiro concorrer com empresas como a Amazon.com, mas se ele for especialista em um certo nicho, vender livros de um determinado assunto, e oferecer informações e suporte que o gigante não consiga oferecer, certamente conquistará seu lugar na Internet e poderá, também ganhar dinheiro.

Pense naquele feirante que consegue atrair toda a freguesia do bairro, enquanto seu colega do lado, mesmo vendendo a mesma coisa, não faz o mesmo sucesso: um consegue ganhar dinheiro, o outro não. É a pessoa, o tratamento, a conversa e as características, impossíveis de serem transferidas, que fazem um comércio ser diferente de outro. Assim como acontece na feira, acontece na Internet: as mesmas regras valem para se fazer notar entre milhões de “barracas” virtuais. Não basta vender o produto na Internet, é preciso que o vendedor “se venda”.

É a imagem do negócio que fará a diferença. E na hora de se fazer conhecido, o e-commerce dá recursos para que o pequeno criativo consiga se promover na Internet, fazendo muito barulho com pouco recurso.

Modelos de Negócio na Internet

Modelos de negócio são as diversas formatações que os empreendimentos adquirem ao utilizar a Internet como canal primário ou secundário de comercialização. Como uma lista completa de modelos de negócio poderia se tornar quilométrica, na medida em que qualquer serviço ou produto existente pode ser comercializado via Internet, sistematizamos todas essas alternativas em três grandes grupos: Comerciante, Corretagem ePublicidade com suas respectivas variantes.

Comerciante:

Modelos de negócios que envolvem a comercialização de serviços ou produtos tangíveis/digitais para pessoas físicas (e-tailers) ou jurídicas. Pode ser um negócio totalmente baseado na Internet ou com reforço de uma loja tradicional.

Variantes

Descrição

Exemplo

Comércio  Misto

 Modelo de Negócio tradicional baseado em instalações físicas e que utiliza a rede como mais um canal de comercialização para os seus produtos.

www.livrariasaraiva.com.br

Comércio  virtual

Comercialização de produtos/serviços exclusivamente pela Internet

www.submarino.com.br

Comércio virtual puro

Comercialização de produtos digitais ou serviços cuja entrega seja realizada pela própria Internet. É a forma mais pura de Comércio Eletrônico uma vez que todo o processo do negócio é realizado on-line. Empresas que vendem  software, musica ou cursos on-line  são exemplos.

www.symantec.com.br www.weblinguas.com.br

Mercantil 

Empresas que vendem produtos ou serviços para outras empresas utilizando-se a Internet como canal de comercialização

www.quickpack.com.br

Mercantil direto

Modelo de negócio de empresas produtoras de mercadorias que se utilizam da web como canal direto de venda para o consumidor final, eliminando total ou parcialmente os intermediários.

www.caloi.com.br www.celta.com.br

Corretagem:

Modelos de negócios dos chamados facilitadores de negócios na Internet. São sites que facilitam e estimulam a realização de transações, através da manutenção de um ambiente virtual, que coloca em contato e aproxima os fornecedores e os potenciais compradores.

Variantes

Descrição

Exemplo

Shopping Virtual

Site que reúne diversas lojas virtuais. Receita é obtida através de uma taxa mensal + comissão sobre as vendas realizadas ou pagamentos por anúncios.

www.sebraecenter.com.br www.shopfacil.com.br

Leilões on-line

 

 Ambiente virtual que possibilita a oferta de mercadorias e a realização de lances até se chegar a a melhor oferta disponível. A Receita é obtida através de taxas de cadastramento + comissão no caso de empresas  (B2B) ou comissão sobre venda no caso de pessoas físicas (C2C).  Possui variantes como o Leilão reverso, onde os vendedores é que fazem os lances, e o menor preço ofertado leva o pedido.

www.superbid.net www.mercadolivre.com.br

Portal Vertical

Possibilita a interação entre empresas do mesmo setor de negócio e incentiva a realização de transações através de negociação direta ou  leilões.  Variantes: Comunidades de Negócios,onde além das transações existem um grande fluxo de informação e orientação aos membros da comunidades, como boletins, diretórios de fornecedores. classificados, ofertas de empregos, entre outros; Agregador de compras , que reúne os compradores para obter maior volume e melhor negociação nas compras.

  www.chemconnect.com

Metamediários

Aproxima compradores e vendedores sendo que a receita é geralmente obtida através de comissões sobre as transações realizadas através do site. É o caso dos Corretores Financeiros   que facilitam a realização de investimentos por parte da pessoa física, disponibilizando acesso a um ou mais fornecedores de serviços financeiros como compra de ações, seguros, investimentos, ou os sites que dão prêmios aos consumidores para incentivar a compra em sites parceiros.

www.investshop.com.br www.dotz.com.br

Publicidade:

Modelos de negócios que utilizam o conceito das emissoras de TV e Radio, o chamado “Broadcasting”. Oferecem produtos e serviços, gratuitamente, como informação ou entretenimento, geram um grande volume de tráfego e obtém receita através de anunciantes que desejam atingir esse público.

Variantes

Descrição

Exemplo

Portais genéricos

 

São os grande portais de conteúdo que oferecem conteudo gratuito ou parcialmente gratuito, além de serviços como servidores de emai.l

www.ig.com.br

Portais especializados 

Sites especializados em determinado público ou segmento de mercado. Geram menos volume de tráfego que os portais genéricos mas com um perfil de público mais concentrado, o que é valorizado pelos anunciantes.

  www.maisde50.com.br

Gratuidade

Sites oferecem algum serviço/produto gratuitamente para gerar volume de tráfego. É o caso típico dos mecanismos de busca e serviços de correio eletrônico.

www.yahoo.com.br  www.hotmail.com

 Já é possível ganhar dinheiro, e se divertir, com um site ou blog

Existem três razões para isso, a primeira é que a Internet dispõe hoje do que se convencionou chamar de “massa crítica”, conceito emprestado da sociologia que significa a existência de uma quantidade de pessoas que possibilite a realização de determinada ação. No caso, trata-se da existência de internautas e consumidores on-line em número suficiente para alavancar os negócios na Internet. O Brasil já conta com cerca de 50 milhões de internautas e algo próximo a 17 milhões de consumidores on-line, número de pessoas mais do que suficiente para gerar negócios, benefícios e renda na web. A segunda razão é a maior facilidade para se montar um site e inserir publicidade Isso em decorrência da existência de ferramentas que possibilitam a qualquer leigo publicar sua página em questão de minutos, bem como da existência de inúmeros desenvolvedores de baixo custo. A terceira razão é a maior facilidade de se encontrar anunciantes e parceiros comerciais por meio de soluções como o Adsense ou Programas de afiliados.A Internet já conta com tantas páginas publicadas que é impossível se chegar a um número exato. E a cada minuto novas páginas sobem para fazer parte desse universo. Para a maioria das pessoas, publicar algo na Internet é apenas uma diversão, ou hobby, mas é possível compatibilizar isso com algum ganho financeiro, que se não é suficiente para deixar ninguém rico, pelo menos dá para pagar a hospedagem, o desenvolvimento de um site simples e ainda sobrar algum extra.  O caminho para gerar receitas é a utilização parcial do site para publicidade. É interessante notar que durante o boom da Internet, a maioria dos projetos tinha como modelo de negócio a geração de conteúdo e a venda de espaço publicitário e praticamente todos fracassaram, ou tiveram o modelo de negócio alterado drasticamente. Então por que isso passou a ser viável agora, embora em dimensões mais modestas?

Google Adsense e Programas de afiliados

O Adsense é a solução do Google que possibilita ao editor publicar  anúncios em todas as páginas de seu site, simplesmente inserindo um código disponibilizado pelo software nessa página. O Google oferece a solução de gerenciamento, localiza os anunciantes, publica nas páginas determinadas e deposita a receita dos anúncios em sua conta bancária. Já um Programa de afiliados é uma solução oferecida por sites de e-commerce que buscam ampliar o seu alcance mercadológico por meio de sites parceiros.  O editor escolhe um fornecedor de produtos compatível com o publico do site e que possua um sistema gerenciador de afiliados, cadastra-se e coloca em páginas selecionadas do site o anúncio desse fornecedor. O sistema vai registrar todas as vendas decorrentes do site afiliado e vai lançar a comissão em sua conta bancária no final do período combinado. As duas formas são interessantes para a geração de receitas e o melhor é que podem ser utilizadas simultaneamente.
A boa notícia final é que a competição entre os sites de e-commerce, tende a se acirrar fortemente na Internet. Isso significa que sites de conteúdo que ofereçam uma boa quantidade de visitantes com público homogêneo terão cada vez mais anunciantes interessados em seu espaço publicitário.

SHARE
Previous articleWeb Design
Next article6 Dicas para o Empreendedor de Sucesso na Internet

LEAVE A REPLY