A CONSOLIDAÇÃO DO MERCADO DE COMPRA COLETIVA

A CONSOLIDAÇÃO DO MERCADO DE COMPRA COLETIVA

1678
0
SHARE

Assim como surgiu e cresceu de maneira extremamente rápida, com mais de mil sites operando em apenas 12 meses, o setor de compra coletiva no Brasil, evolui em seu segundo ano de vida para um novo estágio marcado pela consolidação.  Neste processo três fatores podem ser destacados:

A Compra Coletiva veio para ficar

Os indicadores desse fato são o grande volume de recursos de centenas de milhões de reais/ano que vem sendo movimentado pelo setor, bem como a entrada no mercado de novos players de peso como o Facebook e o Google. Essas empresas já estão solidamente estabelecidas na Internet e possuem acesso a milhões de usuários, cerca de 300 milhões, no caso do Facebook, bem como a uma gigantesca quantidade de comerciantes parceiros, que através do Adwords e do Adsense já realizam negócios de publicidade com o Google. Com certeza, esse enorme arsenal será utilizado pelos novos big players para expandir mais ainda as fronteiras de utilização da compra coletiva entre os usuários e os comerciantes, o que é muito bom para o setor.

A diminuição na entrada de novos players

O segundo aspecto que marca essa nova fase no mercado da compra coletiva é a diminuição na entrada de pequenos empreendedores e também na quantidade de players. Esse dado pode ser medido por meio dos desenvolvedores de solução de compra coletiva que assistem a uma diminuição expressiva na demanda por seus serviços. De fato, houve uma bolha eufórica entre os empreendedores, muitos dos quais despreparados e sem recursos financeiros, que entraram no mercado estimulados pela facilidade de implantação do negócio e o baixo custo da solução. A maior dessas empresas estará vendendo seus ativos, como um cadastro de clientes ou uma boa marca regional, caso os tenha, ou simplesmente encerrará as atividades. É claro que um setor tão dinâmico como o da compra coletiva nunca se fechará totalmente a novos projetos. Mas para isso serão necessários não somente recursos, mas inovação, criatividade e o encontro de nichos lucrativos ainda não explorados pelos atuais players.

As fusões e aquisições

O terceiro componente da consolidação do setor é a busca por fortalecimento. Conforme discutimos em artigo anterior, passada a fase de consolidação do setor, poucos players de peso restarão para disputar a liderança do mercado. Assim, o crescimento rápido por meio de fusões aquisições faz todo o sentido no fortalecimento da empresas para essa disputa. Recentemente tivemos um caso que praticamente inaugurou esse processo: a fusão dos sites Ofertas.com.br e Oferta Única. O site resultante da união que progressivamente utilizará apenas a marca Ofertas.com.br, passa a ser o 4º maior portal do setor no País, com 2,5 milhões de usuários cadastrados e presença em mais de 150 cidades do Brasil, o que o coloca como líder do setor neste quesito. Com o acordo, Charles Martins, até então CEO do Ofertas.com.br, passa a ser o presidente do Conselho de Administração da empresa, cabendo a Rodrigo Monzoni e Antonio Mouallem, que já comandavam o Oferta Única, a gestão do dia a dia da empresa. Ao que tudo indica, baseado nas palavras do presidente do conselho, a estratégia da empresa não vai parar por ai: ““Estamos ficando mais fortes para buscar novos acordos, sejam eles fusões ou aquisições”.
É certo que os outros grandes players também estarão atentos a essa nova fase de consolidação no setor e com certeza, teremos brevemente novos lances no mercado da compra coletiva.

LEAVE A REPLY